Não resista aos pensamentos ruins, apenas perdoe

Não resista aos pensamentos ruins, apenas perdoe

 

André Neves

 

Existem coisas que acontecem e a gente não sabe como explicar.

Ontem a noite estava indo para casa e um pensamento contaminante veio a minha mente. Já era noite e a lembrança de um evento ocorrido oito anos antes veio e não consegui me desvencilhar dele. Você pode se impressionar de algo de tanto tempo incomodar tanto, mas todos nos vemos, por vezes, contaminados por pensamentos invasores do passado.

Há mais ou menos a oito anos eu estava de moto indo para o trabalho e em uma grande avenida do Rio de Janeiro e me deparei com um engarrafamento. Por uma simples distração acabei demorando demais para apertar o freio e esbarrei na moto que estava na minha frente.

Era uma Harley-Davidson preta com um adesivo de um grupo famoso de motoqueiros. Lembro claramente rosto do senhor que desceu, agarrou meu braço e começou a me agredir verbalmente.

Fiquei desnorteado, pois havia encostado na borracha do pneu e nenhum dano foi causado e aleguei que não precisava me segurar, pois estava parado. Ele se irritou com minha calma e me agrediu com cinco socos no braço. Surpreso perguntei porque ele estava me agredindo, pois se houvesse algum dano a moto eu pagaria e ele respondeu que não queria dinheiro.

Então o que ele queria? Ele queria agredir alguém, queria violência e arrumou um alvo e mesmo sem ter tido nenhum motivo ele me agrediu.

Eu não revidei agressão, apenas absorvi os golpes, pois seria covardia revidar a agressão de um homem descontrolado.

Acabou a confusão e ele foi embora voltando para sua vida, mas esta lembrança por vezes voltava a minha mente e eu voltava no tempo para os momentos em que isto aconteceu revivendo o momento e me contaminando com a sensação destrutiva do momento.

Ontem aconteceu, mais uma vez, do pensamento vir me assombrar, mas eu tive um comportamento diferente. Ao invés de ficar revirando o acontecido e ou tentar resistir ao pensamento eu imaginei a seguinte cena.

Eu estava de frente para meu agressor e o encarava como um amigo e explicava que tudo aquilo aconteceu por um mal dia e que tudo havia passado. Em meus pensamentos o abracei e desejei uma boa e feliz vida e o perdoei de coração. E depois soltei esta lembrança e a deixei fluir.

Esta seria mais uma história, mas hoje aconteceu algo que no mínimo posso descrever como intrigante.

Estava indo de moto para o trabalho e ao olhar para meu lado eu vi o mesmo motoqueiro, já com a barba e cabelos totalmente brancos ao meu lado. Era o mesmo motoqueiro na mesma moto e encontrei-o no mesmo quarteirão do primeiro encontro.

Olhei para ele e ele olhou para mim e acredito que houve um reconhecimento mútuo, mas principalmente um sinal divino de que tudo havia sido resolvido.

O perdão me libertou e se posso dar um conselho para todos, eu digo, não resista aos pensamentos ruins, apenas perdoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *